Mês: outubro 2016

2 exercícios simples de atenção plena para ajudá-lo a lidar com a pressão

2 exercícios simples de atenção plena para ajudá-lo a lidar com a pressão
A atenção plena ou mindfulness pode ajudá-lo a se sentir em harmonia com você mesmo

Dado o ritmo frenético da vida moderna, sentir-se sob pressão para corresponder às expectativas de todos – incluindo as suas – pode facilmente transformar-se em mais um hábito prejudicial a sua saúde. Visto que nossas vidas nunca foram tão monitoradas ou expostas a tanto escrutínio tal como nos últimos anos, pode ser difícil deixar de lado a suposta necessidade de lutar por sua excelência pessoal, independentemente do impacto que essa atitude tenha sobre você. Na era dos smartphones e redes sociais, não parecer “superativo” e “sempre ocupado” pode facilmente fazer com que você se sinta como uma alma perdida ou alguém que apenas não é bom o suficiente. Viver uma vida verdadeiramente autêntica tornou-se um desafio na época em que ficar parado e não fazer nada soa como uma grande estranheza.

Mesmo quando você se sente influenciado por ideias desse tipo, você ainda tem escolha. Você pode render-se à pressão de ficar disponível para tudo e para todos, ignorar a si mesmo e continuar a lutar para manter uma imagem de sucesso e popularidade, ou aproveitar este momento para dar atenção a você – o verdadeiro você – aquele que como todos os seres humanos necessita cultivar a ligação com o próprio corpo a fim de se sentir em harmonia consigo mesmo e com os outros. Dedicar tempo exclusivamente a si mesmo não significa apenas permitir-se comprar algo caro, comer algo saboroso ou desfrutar de algo novo. Também significa fazer deste o seu momento, ou sentir o que significa ser você neste instante. Tudo sem julgamento. Tudo sem ter de fazer as coisas de certa maneira (como ter de seguir um estereótipo de “relaxamento”, como deitar-se em uma banheira com um copo de vinho ou comer uma enorme barra de chocolate enquanto assiste uma série de TV inteira na Netflix. Se uma dessas coisas não estiver disponível… Bom, então, você ficaria à mercê de uma sensação ruim).

A atenção plena ou mindfulness pode ajudá-lo a se sentir em harmonia com você mesmo sem ter de fazer um grande esforço para criar algo elaborado a fim de alcançar a paz de espírito. Basta dedicar algum tempinho para se concentrar na sua respiração para que se reconecte com seu corpo, honrando o momento presente e as sensações que o fazem inteiro, atendendo a você como um todo. Você não tem de ser budista para praticar a mindfulness, ou um grande conhecedor de filosofia oriental para dominá-la. A atenção plena já faz parte de você – pois constitui aquela habilidade única de utilizar o raciocínio para se concentrar em si mesmo e observar seus próprios pensamentos, sentimentos e comportamentos.

Se você se sente estressado e gostaria de experimentar a mindfulness, a seguir você encontrará 2 exercícios simples de atenção plena para ajudá-lo a lidar com a pressão:

1- Centrar-se no momento presente

Sentado em uma cadeira em uma posição ereta, mas confortável, preste atenção somente em sua respiração. Observe como o seu peito se expande em cada inspiração, preenchendo seu corpo todo com ar e, na expiração, possibilita um sentimento natural de relaxamento. Quando você sentir a mente relaxar e reconectar-se com o seu corpo, tire a atenção do seu peito e concentre-se nos seus pés. Sinta a sensação de contato entre as solas dos seus pés e a superfície na qual estão descansando. Sinta você por inteiro, suas pernas, tronco, braços e cabeça conectados. Sinta-se como uma unidade, como um corpo sentado nessa posição. Examine as sensações que intensificam a sua percepção do que significa ser esse corpo nesse momento, como sentir a superfície dura da cadeira contra a sua pele ou perceber sentimentos de peso ou leveza nos membros. Calmamente, em seguida, lembre-se de onde você está, o dia da semana e a hora do dia. Traga o momento presente, corpo e mente unidos enquanto está sentado nesta cadeira, sendo você completo neste instante e espaço.

2- Alívio do estresse

Sentado em uma cadeira em uma posição ereta, mas confortável, preste atenção em sua respiração. Observe como o seu peito se expande em cada inspiração, preenchendo seu corpo todo com ar, depois a expiração que traz um sentimento natural de relaxamento. Quando você sentir a mente relaxada e reconectada com o seu corpo, retire a atenção do peito e concentre-se no seu corpo inteiro. Investigue as sensações presentes nesse momento, identificando o que lhe faz se sentir ansioso. Essa sensação pode ser pressão ao redor do peito, uma sensação de aperto no pescoço ou na mandíbula, ou uma sensação de peso, dor ou pressão na região abdominal, por exemplo. Assim que você conectar-se com uma dessas partes do seu corpo, dedique alguns minutos para focar a sua atenção nesta região. Dedique algum tempo para atender às sensações corporais que refletem o seu estado emocional negativo. Observe como o estresse é sentido por você numa região em particular. Atenda à fonte de seu desconforto. Assim que o seu pensamento começar a processar essas sensações, observe o que acontece quando elas começam a se dissipar para o resto do seu corpo como um fluxo de energia. Note a mudança nessas sensações e como eles desaparecem na sua consciência. Curta esse sentimento de alívio e reconciliação na medida em que a sua atenção reivindica seu corpo todo de volta.

Sempre que você se sentir oprimido ou desconectado, como se você estivesse em piloto automático, reserve alguns minutos para praticar um dos exercícios acima. Ambos farão com que você se sinta revigorado e centrado. É vital para o seu bem-estar psicológico e emocional entender esses sentimentos negativos assim que surgirem. Deixá-los acumular como se não fossem importantes tem o potencial de virar complicações de saúde mental mais tarde, como um episódio de esgotamento ou depressão, ou até resultar em um transtorno de ansiedade. Defina as suas prioridades de maneira correta e aprenda a amar e respeitar você inteiro primeiro, tanto corpo como alma.