Mês: novembro 2016

5 crenças comuns dos procrastinadores

A procrastinação refere-se a um problema muito familiar. Se, às vezes, você sente dificuldade de se motivar, você pode ser propenso à procrastinação. Como crenças negativas encontram-se presentes na raiz de nossas vulnerabilidades psicológicas mais comuns, é vantajoso tomar consciência das atitudes, regras e suposições que estejam lhe impedindo de realizar o que deseja.

Aqui estão 5 crenças comuns dos procrastinadores:

1- “Se eu não posso fazer melhor, não vale a pena fazer coisa alguma”

Perfeccionismo não significa um talento, mas um assassino da autoconfiança. O perfeccionista desperdiça tempo precioso em pensamentos improdutivos enquanto a vida passa despercebida. Aprenda como valorizar a sua própria humanidade aceitando a ideia de tentativa e erro e celebrando seus esforços. Dez mil ações “suficientemente boas” são muito mais gratificantes em longo prazo do que realizar um único ato perfeito.

2- “Quem não arrisca não se desaponta”

5 crenças comuns dos procrastinadores
A procrastinação é um problema muito familiar

Se você aprecia seus esforços – e não apenas resultados perfeitos – você não tem medo de assumir riscos. A autoconfiança é nutrida de dentro para fora. Adote uma atitude complacente sempre que se tornar corajoso o suficiente para sair de sua zona de conforto. Aja como seu melhor amigo e diga a si mesmo que tentar é tão bom quanto ser bem-sucedido. Elogie-se, mesmo quando parece que ninguém mais está prestando atenção em você. Não espere por reconhecimento externo para construir um senso interior de autoestima, mas deixe o amor-próprio incondicional guiá-lo por meio de seus esforços.

3- “Nada nunca dá certo pra mim”

Na TCC, os pensamentos automáticos são classificados como erros cognitivos devido a sua perspectiva irrealista. Dizer a si mesmo que absolutamente nada nunca dá certo para você é uma declaração global e simplista demais para refletir a realidade objetiva de maneira acurada. Você não está se esquecendo de reconhecer algumas coisas boas que conseguiu alcançar? Se for assim, então você está permitindo que o perfeccionismo mine a sua autoconfiança.

4- “Se eu não sinto vontade de fazer isso, significa que não devo fazê-lo”

Você ficaria surpreso em saber como essa crença é falsa. Quando você consegue superar aquela resistência inicial, você normalmente descobre que pode fazer o que havia se determinado e com certa facilidade. Motive-se para desenvolver, pouco a pouco, uma tolerância cada vez maior ao desconforto. Tenha como um de seus objetivos desafiar os pensamentos que parecem estar contra você. Questione as formas de pensar negativas e improdutivas através do aumento da sua autoconsciência. Afinal, quem está no controle, você ou os seus pensamentos?

5- “Eu não tenho tempo pra isso”

Verdade? Ou essa não é apenas mais uma desculpa para não se dedicar a algo novo ou introduzir mudanças positivas em sua vida? Se você realmente sente que o tempo está contra você, é recomendável descobrir o que você faz de fato com ele. Reserve alguns minutos durante a próxima semana para anotar o que você faz com o seu tempo de hora em hora e todos os dias da semana de segunda a domingo. Em seguida, analise suas descobertas e avalie como você tem gerenciado seu tempo. Quais são as suas tarefas prioritárias? Quais atividades poderiam ser excluídas, encurtadas ou estendidas para permitir que você atinja seus objetivos de autoaperfeiçoamento? A estruturação ativa de sua rotina diária é uma iniciativa de apropriar-se de si mesmo que desembocará em um renovado senso de controle e responsabilidade sobre a sua própria vida.

Para vencer a batalha contra a procrastinação e tornar-se mais produtivo, dirija a sua atenção aos erros em seu pensamento. Pensamentos demasiado gerais ou com uma mensagem de rigidez, perfeccionismo ou tendenciosidade para o negativo, por exemplo, são famosos por resultarem em conflito pessoal e sentimentos de inadequação. Monitorar pensamentos disfuncionais requer pouco esforço e dedicação de sua parte, além de auxiliar na realização de seu potencial de maneira saudável e independente.