Categoria: Inatividade

20 ideias e atividades de cuidado pessoal para 2019

20 ideias e atividades de cuidado pessoal para 2019
A mudança acontece quando você cuida de si

Assim que o final de mais um ano se aproxima, a necessidade de mudanças de estilo de vida torna-se indispensável para alguns de nós. Quaisquer que sejam as suas necessidades, a mudança acontece quando você cuida de si e prioriza o que favorece o corpo e a mente. Se acredita nesse conceito, mas gostaria de ajuda para colocá-lo em prática, seguem 20 ideias e atividades de cuidado pessoal para que consiga cuidar melhor de si em 2019:

  1. Faça caminhadas curtas (de 20 a 30 minutos) para manter a forma física e mental
  2. Coloque em prática boas práticas de higiene do sono, como evitar a cafeína, fumar e beber álcool perto da hora de dormir para melhorar a qualidade do sono
  3. Incorpore os exercícios de respiração a sua rotina diária para gerenciar o estresse
  4. Experimente seguir um programa de meditação mindfulness de 8 semanas para aumentar a concentração e ajudá-lo a reconectar-se
  5. Pare de fumar e reduza o consumo de álcool e açúcar para prevenir doenças
  6. Beba mais água e coma mais frutas e vegetais para fortalecer o sistema imunológico
  7. Faça yoga em casa ou comece a frequentar um estúdio de ioga, uma ou duas vezes por semana, para se sentir mais flexível
  8. Preencha um Relatório Diário de Pensamentos Disfuncionais para questionar os pensamentos negativos
  9. Ouça o próprio corpo e reduza o ritmo de vida ao sentir-se sobrecarregado para evitar o esgotamento
  10. Eleve o nível de autoconsciência e identifique as emoções que precedem os comportamentos disfuncionais e excessivos para promover a regulação emocional e o autocontrole
  11. Pratique a autoaceitação e o amor-próprio, reconhecendo regularmente o valor de seus esforços para aumentar a autoestima
  12. Quando se sentindo triste, zangado, amedrontado e/ou envergonhado, conecte-se com esses sentimentos para se tornar emocionalmente congruente e integro
  13. Trate os problemas de natureza emocional e psicológica com respeito e procure a ajuda de um profissional de saúde mental para lidar com os mesmos
  14. Assista filmes e séries de comédia para lembrá-lo de rir e agir de forma descontraída
  15. Invista tempo e esforço nos relacionamentos funcionais e recompensadores para se sentir verdadeiramente conectado e feliz
  16. Mantenha contato com os amigos para ter uma boa rede de apoio
  17. Reserve tempo para socializar e conhecer novas pessoas para ter uma vida social satisfatória
  18. Ao caminhar, andar de bicicleta ou dirigir, saia de dentro da sua cabeça para apreciar o que há por fora
  19. Faça caminhadas mais longas ou mais frequentes com os seus filhos e/ou animais de estimação para promover a saúde de todos
  20. Dedique-se a uma nova atividade (seja de ordem mental ou física) para estimular o funcionamento cognitivo

Para aproveitar ao máximo o acima e perceber uma alteração na maneira como se sente, faça das práticas escolhidas uma rotina e lembre-se de que a perseverança e paciência são fundamentais para que resultem em uma mudança efetiva.

4 razões pelas quais sentir pena de si mesmo ajuda você a crescer

A intolerância contra os sentimentos negativos é tão difundida que se aceita sentir pena dos outros, mas não de si mesmo. A crença que sustenta essa mentalidade rígida equivale sentir-se triste ou mesmo deprimido a um ato de se vitimar, como se a melancolia fosse apenas um meio de enganar os outros ou atrair a atenção para si. Aqueles que se identificam com essa perspectiva têm dificuldades de validar o seu próprio sofrimento, sobretudo, quando este persiste. Ao contrário da crença popular, evitar acessar, de verdade, a raiz do desconforto emocional não o faz desaparecer, mas tende a prolongá-lo desnecessariamente. Para ajudá-lo a abandonar a noção preconceituosa de que sentir e expressar a vulnerabilidade seja sempre um sinal de fraqueza, elencam-se 4 razões pelas quais sentir pena de si mesmo o ajuda a crescer:

1- Você se torna mais emocionalmente íntegro e consciente

4 razões pelas quais sentir pena de si mesmo ajuda você a crescer
Sentir pena de si mesmo pode funcionar como um alerta para implementar mudanças positivas

Quando você se permite sentir sem julgamento, naturalmente, torna-se mais consciente de seus estados emocionais. Aprender a viver em paz com os sentimentos, por sua vez, aumenta a congruência emocional, a autoconfiança e o poder da voz do seu eu autêntico. Como resultado, você se sente mais conectado com a própria mente, corpo e identidade e leva uma vida mais satisfatória e recompensadora.

2- Motiva-o a agir

Sentir pena de si mesmo pode funcionar como um alerta de que necessita implementar mudanças positivas em sua vida. Isso se deve ao fato de que a insatisfação e o desapontamento pessoal tendem a desembocar em um processo de intensa autoavaliação e reavaliação. Não há nada como chegar “ao fundo do poço” para motivar alguém a se adaptar a novas circunstâncias, reparar os relacionamentos e substituir maus hábitos por outros mais saudáveis.

3- Ajuda-o a melhorar a saúde emocional

O aumento da conscientização acerca dos sentimentos negativos permite que identifique o que está errado e faça algo a respeito. Tal como a dor física, o desconforto emocional avisa-nos de perigos potenciais ao nosso bem-estar. Quando você aborda a sua própria inadequação de uma maneira consciente, madura e sem se envergonhar e culpar a si mesmo, você se sente mais confiante e forte. A sua capacidade de lidar com o que está lhe incomodando de forma proativa – e até mesmo pedir ajuda, se necessário – aumenta, o que influencia positivamente a manutenção da sua saúde emocional.

4- Você se torna mais complacente e tolerante

A conotação extremamente tendenciosa de “sentir pena de si mesmo” reflete uma cultura de negligência e intolerância emocional. Julgar-se por sentir-se desanimado apenas promove o autodesprezo e uma atitude autocrítica. Quando passa a honrar todos os seus sentimentos, sem exceção, você não apenas se torna mais complacente e empático em relação a si mesmo, como também aos outros, conectando-se mais facilmente nos relacionamentos e tornando-os mais funcionais.

Não é humano sentir-se bem ou feliz o tempo todo, portanto, não é vergonhoso sentir pena de si quando dominado pela tristeza. Ninguém deve se sentir culpado por expressar as emoções negativas genuinamente sentidas. Se você gostaria de se sentir conectado e viver uma vida mais autêntica, talvez esteja na hora de abandonar o seu preconceito contra a expressão das emoções antagônicas, tais como o medo e a vergonha. Uma mentalidade “é oito ou oitenta”, erroneamente, pressupõe que se permitir sentir tristeza ou até mesmo chorar é um processo que se iniciado, “nunca tem fim”, mantém-lhe emocionalmente estagnado e dificulta o seu crescimento e desenvolvimento pessoal. Para combater essa tendência, comece a agir “como se” não se importasse com o que os outros pensam e ouse ser você, independente do que isso signifique.